quarta-feira, 3 de junho de 2009

Imensidão

Eu sou muita e muitos,
Sou vácuos e vales,
E não pedi pra ser assim,
Brisa e ventania,
Eu sou um lado bom,
Mas também sou um lado ruim.
Eu sou mares e serras,
Sou luzes e trevas,
Sou tudo enxertado assim,
Sou pequena e imensa,
E tenho um imenso,
De tudo morando em mim...

Eu sou voz e silêncio,
De paz e intensos,
De calmas e turbilhões,
Sou até a alforria,
De minhas partilhas,
E assisto os meus furacões,
Eu sou cores, sou branco,
E num "black" eu me apago,
E fujo pra dentro de mim,
Eu sou assim...
Ah eu sou assim...
Sou o meu lado bom,
Mas também o meu lado ruim.

Quando Ele me vê, assim tão bipartida,
Tentando me (auto) apaziguar,
Diz com a calma de Pai:
Te amo tanto, te fiz e conheço teus mares e cais...
E eu volto a ser a menina de tranças,
Que balança nas galhas em flor,
Porque Ele não muda,
Ele nunca mudou,
Porque os lados d'Ele,
São todos Amor!

(Ele nunca some, Ele nunca sai,
Não me deixa só, Ele jamais trái,
Ele arde a vida, da qual é o autor,
Ele é a vida, Ele é o amor!

Gláucia Carvalho
26.11.2007
(um bolero)

3 comentários:

Gal disse...

Olá, sou Glauce (Gal) da Bahia, nesse mundo da internet sou expert em encontrar coisas boas, uma delas é o seu blog. Quero ser seguidora...rsrsrsrs
Lindo o seu poema, as vezes me ocorre pensamentos como estes descritos no poema!
Parabéns!
Sinta-se convidada a visitar o meu blog também!
bjs

J.F.AGUIAR disse...

Quem tem a Jesus sabe o caminho
do belo,do bom e do bem
Gláucia você sabe muito bem...

Anônimo disse...

Beleza e verdade. Grande abraço, Glaucia.


Gladir