quarta-feira, 23 de julho de 2014

Eu e Ela

Ela é minha,
Eu sou dela.
Mesmo ela sendo amarela,
Da cor dos raios do sol.
Eu sou meio obscura,
Tenho as nuances da lua,
E tenho um medo do dia,
Como se minha alegria,
Fosse morrer de manhã.

Ela acorda feliz, 
Recita uns versos e me encanta,
Eu no escuro a escuto,
A menina que enfim sabe as rimas,
Que conectam o meu coração.
Mesmo na manhã estranha,
Ela ordena aos céus uma chuva,
Pra que eu possa sorrir.

É estranho como o céu desaba, 
Assim que ela manda cantando,
Os trovões já vão anunciando,
O que está porvir.
O dia escuro que amo,
A chuva que cai porque amo, 
E ela quem manda e eu a amo,
Cada dia muito mais.
Por que eu sou dela e ela é minha.
É ela toda minha paz...

Gláucia Carvalho
23.07.2014
(Para minha filha Luísa. A Dona dos encantos meus...)

terça-feira, 15 de julho de 2014

Madrugada

Na madrugada
Sinto um cheiro de vida,
Não estou mais vaga.
Tudo em mim tem cor de natureza
Sinto forte a beleza,
Já não sou mais nada!

O que me era vazio,
Escuro e frio,
Tem nuances de bonança,
Sou alguém que dança.

Sou alguém que brinca,
Sou alguém que trisca,
As estrelas e belisca,
Um pedaço da lua,
Sou a menina novamente,
Que toma banho de cachoeira nua,
Sou completamente entregue,
Aos cuidados seus,
Sou de Deus.
Sou de Deus!

Gláucia Carvalho
16.julho.2014
(madrugada)

sábado, 12 de julho de 2014

Eu na floresta, no mar, na vida