sexta-feira, 30 de julho de 2010

Cantador


"Tarde" Cantador!
Sol das banda daqui arde!
Sol da vida, da justiça em mim arrebata,
...Nada mata, mais que a mata, que o orvalho Cantador!
Sim poesia, canto grilo, o berrante,
O instante do encontro,
Da alvorada com a estrela,
Que errante já se vai,
É meu canto, minha esperança,
Nesta vida cantadeira.
Digo CANTADEIRA, esta vida Cantador,
Não se esvai...

Gláucia Carvalho
30.julho.2010

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Resposta à "Um belo bom" do Sr. José Aguiar


Paz, Sossego e Silêncio,
Foi uma frase que ouvi,
De um senhor muito querido,
Que disse assim ao meu ouvido,
Sossega menina, mulher!
Sua alma requer,
Paz, silêncio, sossego,
Agora, dos seus, o chamego,
A chama que nunca se apaga,
Que arde nas noites, mais frias,
Aquece alma sombria,
De quem tem a fome sagaz,
Do Silêncio, Sossego e Paz!

Gláucia Carvalho
29.7.2010

(em homenagem ao senhor José Aguiar pelo carinho, apoio e constantes orações. Deus o guarde e toda sua família.)

Um Belo Bom (Sr. José Aguiar)


Juntos em um caminhar
Lá se vai meu coração
Neste belo bom
Sou transportado a um jardim
Lá não são flores que falam
É Gláu o perfume de palavras
Que vai aos ares
Falar dos pensares dos homens
E dos sonhos do nosso Deus
E diz também
O que nunca me fora dito
Lapidou palavras jóias
Foi demais para mim
Jovem,amiga
Não há conflito
De geração
Nos olhamos com a alma
No trabalhar com os versos
Palavras tão simples
Que nunca me fora dito
Chorei em meu silêncio
Na leveza de uma paz
Onde Deus nos inspira
Os que sabem amar
Filha, irmã
Eternamente...
Simples
De um belo bom!


(É mais que isto minha irmã em Cristo Gláu)

Sr. José Aguiar

terça-feira, 27 de julho de 2010

Não vivo sozinha



Febril,
Teimosa,
Faceira,
Dengosa.
Deserta,
Misteriosa,
Moinho,

Mais vinho?
Mais passos,
Mais vozes,
Mais músicas,
Mais danças,
Sim, mais esperança!
Mais certo que vivo,
É vivo meu Deus!
Não vivo sozinha!
Minha dor não é minha.
Divido com outros,
Os pactos são portos,
Sou luz, sou poesia,
Sou vida, enterrei,
Já velei, os meus mortos!


By Gláucia Carvalho
27.julho.2007

por volta das 17h30

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Noturna


Noturna fiquei assim.
Talvez por nascer
Depois do entardecer.

Noturna, fiquei assim!
Depois de Chopin,
Depois de Jobin,

Noturna, Saturna,
De uma forma, algo em mim,
É tão lunar...

Noturna, sou mais na noite,
Me sou Felina,
Ferinos sensos, feroz olhar...

Noturna, fiquei assim.
Noturno, encerra em mim
Mil noites em Bagdá,
Mil contos para cantar...

Gláucia Carvalho

19. julho.2010

(voando para o Rio, ouvindo Chopin)

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Asas


No espaço, Aço!
Em ação, eu.
Eu apenas e o aço.
Alço vôos mais que posso.
Mais que o aço e ouço.

Dou outro passo, fui!
Ninguém me alcança
O movimento,
Ninguem me trisca

O pensamento!
Aço, passo, abraço,

Laço, Descalça,
Asa,
Brasa, Asas,
Asas
, Brasas, Asas...


Gláucia Carvalho

19.7.10
(voando para o Rio,
com minha Correnteza Luísa)

sábado, 10 de julho de 2010

Monte Negro (Resposta ao lindo poema de Martin)


Ah...
Finalmente alguém entra em cena!
Ah...
Finalmente ele leu o poema!
Hum...
Sinto cheiro de chuva,
Tem parreira, vem uva?
Eu ouvi claramente sobre gente, varal!
Eu ouvi sobre minha vó,
Sobre lenha, quintal!

Eu sonhei novamente,
Eu estou no natal!
Ah...
Finalmente alguém entra em cena!
Contracena comigo!
É amigo de alma!
Apazigua e acalma,
O voraz furacão!

Ah...
Eu senti um vulcão de alegria!
Ele ouviu a poesia,
E sentiu que nas danças,
Nas florestas dos tempos,
Deus tem planos mais altos,
Que ninguém pode ousar!

E que eu, sou pequena,
Pra beijar beija flores,
Pra amar mais que amores,
Que os amores de Deus,
Pois só Ele O Maior
Que me fez mais intensa,
Com amor assim denso,
Pra dizer aos quantro ventos,
Pra dizer aos montenegros,
Todos os meus segredos,
Estou aqui, vá com calma,
Ei, estou aqui! Vá com calma!

Sou amiga...
Um beijo! Um beijo!
Por toda a sua alma...

Gláucia Carvalho
10.10.2010

(Imagem - Índia - por Martin Montenegro)

Resposta à Bumerangue (por Martin Montenegro)


Não há o que perdoar
tampouco se entender
nada extrapola o viver
nada supera o sentir

Não dormem os postes, as esquinas
não velam por nós, as cortinas
cerradas soturnas noturnas
escondem o amor às retinas

mas pinta então um lampejo
respira no fundo um ensejo
de saltar muro, prancheta, varal
buscar contato com meu natural

descubro, quase descrente
que atrás das montanhas tem gente
que pensa, canta e encanta
é amiga, é abraço, é no fim...

...o finalmente.

beijo na alma ;)

Martin Montenegro 10.7.2010

(Imagem - Martin Montenegro! GRANDE ARTISTA!)

Bumerangue


Que é isto! Sei lá eu... Vai entender!
Vai dizer o que é do desentendido "saber"...
Eu só sinto e se sinto,
Não posso explicar.

Não posso freiar, largar,
Pegar ou cercar,

O que é infinito,
O que é tão bonito,

O que não se pode
Dimensionar!

É algo que está fora
Do meu alcance,

Está do lado de lá,
Mas volta bumerangue,
Instigante, veias, sangue,
Por que saiu, do meu lugar!
Volta beijo, volta pra minha boca,
Volta logo, que eu te quero beijar!

Gláucia Carvalho
10.7.2010

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Pausas


Sabe aquele instante,

Em que você está prestes a despertar,

Ainda está a sonhar,

Este é o meu momento...

O instante da música,

Onde todos param, respiram, transpiram

A hora da pausa, a hora mágica e incrível,

Sim, a hora de esperar.

Gláucia Carvalho

(Primeiro de Julho de 2010 - em sagrado momento de silêncio...)

Shiiiiii....

"Ah Luiza quantas rimas, quantos versos
Já foram feitos para ti
Para as Luizas de outrora
Para as Luizas de agora
E tantas outras por vir

Não sei se porque os poetas
Se apaixonam por nome tão doce
Como se Luiza só mel, melado fosse
Mal sabem eles que há misto de mel e pimenta
Oito ou oitenta
Pois Luizas são luas faceiras
Que mudam, secretas, rasteiras
Suas fases, seus truques, brincadeiras
Pra confudir-nos, como disse a “poeta”
E mandar em nossas marés
Tal qual o anjo das águas
Tal qual um grande profeta

Antes de escrevê-la Luiza
Descrevê-la sei, me seria impossível
Pois nome tão pequeno e é incrível
Já te põe nas alturas, já és lua, que sorte!
Ser Luiza, pintora, arquiteta, artista o que queira
Ser Luiza, amiga, fiel, verdadeira
É só ser o que o teu nome quer dizer
Até depois da própria morte
És batalhadora, vencedora, chorona, risona!
É tua sina Luiza, não há como fugir
Luiza foi, é e sempre será: UMA GRANDE GUERREIRA FORTE"

Gláucia Carvalho
(acho que em 2004, para a filha de uma AMIGONA, que como minha filha, também é uma linda Luísa. Com Z.)

Sagrado Segredo


Quem para pra por em papéis,
Sua vida, seus medos, seus sonhos , ideais,
Se abre para vida de desconhecidos,
Que acabam te vendo por dentro,
Por serem assim, tão iguais.

Quem tem a coragem de expôr-se ao mundo,
Dizer o que sente, se é bom, se ressente,
O faz para dar as palavras uma voz, um sentido,
Nos versos não dissimula, não mente,
Passa a ser do estranho, amigo!

Que mágica é esta, que faz os distantes,
Tão próximos sem talvez, se verem jamais,
São as palavras sentidas, nos versos, nas vidas,
Nas vias, nas veias, nos mares e cais.

Quem tem a coragem de abrir sua alma,
Só por desabafo, alívio ou medo,
Merece de quem lhe enxerga por dentro,
Que guarde o seu pranto, em sagrado segredo!

Gláucia Carvalho
(provavelmente em 2001)

Bocado


Eu não estou pensando "nado".
Eu estou pensando um bocado...
Eu acho que deveria ficar
sem pensar um tiquim...
Um ticado...
Para dar um esticado...
Um estirão.
Até o fim da estrada!
Até o fim do mundão...
Onde o sol desce, a lua aparece,
Onde eu me esqueço, onde saem voando eu e meu lenço...
Onde eu simplesmente não penso!

Gláucia Carvalho
23.junho.2010

Quem sou eu?
Acho que esta pergunta
Cai muito bem nesta ocasião da minha vida!
Nao sabia que me seria tao útil...
E que minha cabeça me seria tão inútil...
Em certos pontos, perdi os pontos!
Perdi a cabeça.

Calculo uma média de 8000 a 10000 contatos perdidos...
Mas já calculo uns zilhões de novos contatos achados...
O que eu perdi afinal?
O que é senha??? O que é email?
O que sao mensagens?
O que tinha de mais importante nesta vida,
Pelo menos o que achava que era, eu já enterrei!
Aprendi demais nesta vida, que o que interressa, não foi o que perdi, E sim o que ACHEI!

Eu achei vocês, isto é o que importa!
Eu os perco num instante, mas os tenho de volta!
Maior que tudo e todos é o amor de Deus,
Não haverá distância, profundidade, altura, loucura,
Escuridão, lucidez, ou própria luz,
Que irá nos separar do grande amor de Deus,
Que está em Cristo Jesus... (isto estou certa, jamais perderei...)

(Todo meu amor, Glau)

Gláucia Carvalho
18.junho.2010 13h07

Tô pendurando as chuteiras...
Tô entregando os pontos
Tô esvaziando a lixeira,
Tô escrevendo uns contos...

Tô me livrando das sobras,
Do pouco que ainda me resta,
Da parca, da pouca memória,
Dos sonhos, das danças, das festas...

Tô derramando o tão pouco,
Que ainda existe de fim,
Talvez eu consiga lembrar,
Que um dia eu lembrei de mim...

Que tive um nome, identidade,
Que tive endereço, uma cor, um sapato,
Que tive um regato, uma árvore, uma flor,
Tive livros, amigos, família, tive enfim, um grande amor...

Tive sóis e luas e ventos,
Tive chuvas e até uma resenha,
Quem sabe eu até não me esqueça,
Que um dia eu tive uma SENHA...

Gláucia Dory Carvalho
8/8/2006
9h35

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Retorno


Agora eu voltei!
Agora eu estou tão branda,
Meu coração se alegra, faz festa,
Na dança, na harmonia da água...

Hoje meu coração desagua,
Num oceano que desconhecia,
Num lugar que dantes não sabia,
Que só tinha ouvido falar,
Hoje estou segura de que nada vem por acaso,
De que meu acaso está nas mãos de um Deus poderoso,
Que diz: calma!
Num lugar tortuoso.
Que me diz, ama! Quando quero odiar...

Sim, Este Deus, me ensina que sou apenas aprendiz,
E que cada dia, Ele tem algo a me ensinar!

Gláucia Carvalho
7.7.2010
(recuperei minha senha...)